Raízen prevê moagem de 10 milhões de toneladas de cana no MS em 2023/24

Os dados foram apresentados durante evento aberto à imprensa na unidade Rio Brilhante, ocasião em que a companhia apresentou tecnologias para produtividade e falou sobre expansão de produtores parceiros.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 03/08/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Faltando aproximadamente 50% para a conclusão da colheita da cana-de-açúcar da safra 2023/24, a previsão de moagem da maior companhia produtora de biocombustível e açúcar do Brasil, a Raízen, para Mato Grosso do Sul é de 10 milhões de toneladas. O volume supera a safra anterior, quando a empresa registrou 9,1 milhões de toneladas de moagem.

Ao G1, o diretor do polo de Mato Grosso do Sul, Leandro Melo, falou sobre a projeção para esta safra. “A previsão de produção de moagem para Mato Grosso do Sul é de 10 milhões de toneladas para esse ano, isso representa um aumento se analisarmos nossa produção do ano passado, e nossos objetivos é aumentar esse número cada vez mais”, esclareceu Melo.

Leia também:

Conforme dados da Biosul, Mato Grosso do Sul deve atingir 47 milhões de toneladas de cana, uma recuperação de 10% em relação ao último ciclo.

Ainda de acordo com o diretor do polo, a companhia tem feito importantes movimentos para dobrar a produção sem precisar plantar mais.

“Sem dúvidas, eu acho que a companhia tem feito um movimento importante na transição energética e em relação às necessidades do momento. Hoje, dentro da produtividade, um dos pilares para o crescimento é o investimento no E2G, o etanol de segunda geração, onde temos a possibilidade de fazer o dobro de produção do etanol sem precisar plantar mais. Estamos no caminho, temos a planta certa e estamos estudando todo o potencial de Mato Grosso do Sul”, disse.

Com quatro unidades em Mato Grosso do Sul, nos municípios de Passa Tempo, Caarapó, Rio Brilhante e Maracaju (em hibernação), a companhia é responsável por produzir 50% da cana-de-açúcar utilizada pelas unidades de produção e os outros 50% vêm de produtores parceiros.

Para uma maior linha de produção de biocombustíveis e açúcar nos próximos anos, a companhia trabalha com a possibilidade de expansão de parceiros, explicou o gerente de negócios agrícolas da Raízen, Marcel Wigman.

“Existe uma expectativa para ampliar os produtores, atualmente contamos com 25 fornecedores. Hoje temos nossas ofertas de valores para incentivar nossos parceiros e procuramos um crescimento com a companhia, fazemos o trabalho de pesquisa de mercado, de divisão, temos um potencial de crescimento enorme em Mato Grosso do Sul”, afirmou.

A expansão da Raízen em Mato Grosso do Sul garantiu à empresa um acréscimo de 280 mil hectares de área cultivada e, para os próximos anos, o potencial de crescimento da produção de matéria-prima no estado, que é o quarto maior produtor nacional de cana e o quinto de etanol, é estimado entre 10% e 15%.

Tendo iniciado a operação em 2006, a planta em Rio Brilhante tem capacidade de processamento de cana de 4,3 milhões de toneladas ao ano. Diariamente, são produzidos até 2,4 mil toneladas de açúcar e 1,06 milhão de litros de etanol.

Novacana

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?