Acesse

Expointer 2023 bate recorde com venda de máquinas e implementos agrícolas

Rio Grande do Sul concentra cerca de 65% das indústrias de máquinas agrícolas e implementos usados pelo homem do campo no Brasil

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 06/09/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

A Expointer, uma das principais feiras do agronegócio da América Latina, e que terminou no último domingo (3), movimentou cerca de R$ 7,3 milhões com a comercialização de máquinas e implementos agrícolas.

O valor, que representa um novo recorde, supera em 15% o valor do ano passado, que foi de R$ 6,6 bilhões. Assim, o faturamento total do evento foi de R$ 7,986 milhões, crescimento de 11,76%.

Para Claudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no RS (Simers), a razão para o aumento das vendas de máquinas agrícolas fica pelo interesse do produtor pela tecnologia embarcada.

“É a oportunidade para o agricultor produzir mais no mesmo pedaço de chão. Temos certeza que esses números vão aumentar ainda mais, pois temos que considerar também as pessoas que visitaram os estandes, olharam as máquinas e devem fechar negócio nas próximas semanas”, comemora.

Sustentabilidade e inovação

Em 2023, a Simers trouxe para a feira a temática da sustentabilidade e inovação no agro, sobretudo nas indústrias de máquinas agrícolas.

O Parque de Máquinas foi ampliado, o que possibilitou espaço para novos interessados, totalizando aproximadamente 200 expositores. Tradicionalmente, os equipamentos mais procurados na exposição são tratores, colheitadeiras, plantadeiras e pulverizadores.

“Ao contrário das edições anteriores, quando o movimento era grande só aos finais de semana, este ano viu-se engarrafamentos e dificuldade para estacionar todos os dias, e isso é um problema bom. O produtor rural e o público urbano vieram ver de perto a qualidade e a tecnologia das máquinas agrícolas fabricadas no Brasil, que estão as melhores do mundo. O nosso setor não perde para nenhum outro país”, assegura Bier.

O Rio Grande do Sul concentra cerca de 65% das indústrias de máquinas agrícolas e implementos usados pelo homem do campo no Brasil. No estado, o segmento gera cerca de 35 mil empregos diretos e outros 150 mil indiretos.

Money Times

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?