Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

BP Bunge Bioenergia prevê aumentar moagem de cana em até 16% em 2023/24

A empresa, que está na quarta temporada desde que os ativos de cana da Bunge e BP foram unidos na joint venture, já moeu cerca de 60% da sua safra 2023/24.

Tempo de leitura: < 1 minuto

| Publicado em 23/08/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

A BP Bunge Bioenergia projeta moer entre 28 milhões e 29 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2023/24, o que representaria um crescimento de até 16% na comparação com a temporada anterior, com a companhia obtendo resultados dos investimentos em ganhos de produtividade e de um clima favorável.

Em entrevista à Reuters, o presidente-executivo e presidente do conselho da segunda maior processadora de cana do Brasil, Mario Lindenhayn, disse ainda que a expectativa é de que a companhia atinja a capacidade total das suas 11 unidades, de 32,4 milhões de toneladas, na safra 2025/26.

A empresa, que está na quarta temporada desde que os ativos de cana da Bunge e BP foram unidos na joint venture, já moeu cerca de 60% da sua safra 2023/24, e tem registrado produtividades acima da média do mercado, fruto dos investimentos realizados e também do clima.

“As condições climáticas têm sido muito boas, a resposta do investimento em canaviais tem sido positiva”, disse Lindenhayn.

A companhia prevê investir R$ 2,5 bilhões na safra atual. Nos últimos três anos, os investimentos da BP Bunge Bioenergia somaram R$ 6 bilhões.

A empresa, que faturou um montante próximo de R$ 8 bilhões na safra passada, está destinando o máximo possível de cana para a produção de açúcar, que está mais rentável do que o etanol.

O “mix” para o adoçante está em 42%, e o restante do volume segue para etanol, disse o presidente-executivo.

Forbes

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?