Agrishow 2023 bate recorde e fecha mais de R$ 13 bilhões em negócios, segundo Abimaq

Cerca de 195 mil pessoas passaram pela maior feira agro da América Latina

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 09/05/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

A 28ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação – Agrishow 2023 movimentou o recorde de R$ 13,290 bilhões em negócios, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Em 2022, a feira movimentou R$ 11,243 bilhões em negociações. O público também foi o maior da história. De acordo com os organizadores, pelo menos 195 mil pessoas passaram pela estrutura que reuniu mais de 800 marcas expositoras em Ribeirão Preto (SP), entre dias 1 e 5 de maio.

Leia também:

No setor de armazenagem agrícola, a movimentação chegou a cerca de R$ 178 milhões, conforme balanço da Câmara Setorial de Equipamentos para Armazenagem (CSEAG) da Abimaq. “Para equipamentos de armazenagem de grãos a procura foi muito boa. É uma feira bastante interessante para o segmento porque ela mostra a nossa tecnologia, o que a gente tem no mercado, e também alerta o agricultor sobre o déficit crescente de armazenagem de grãos no Brasil, que este ano atinge mais de 118 milhões de toneladas”, destaca Paulo Bertolini, presidente da CSEAG e diretor da Granfinale Sistemas Agrícolas.

Segundo Bertolini, para fazer frente ao déficit na capacidade de armazenagem, que chega a 38% do total da produção brasileira, é preciso investimento público e privado de pelo menos R$ 15 bilhões ao ano no setor.

“A movimentação em nosso estande de equipamentos para secagem, classificação, transporte e armazenagem de grãos foi maior que em anos anteriores e com incremento no volume de negócios fechados. Percebemos que o agricultor sabe da importância de ter sua própria estrutura para receber a safra e garantir a qualidade dos grãos no pós-colheita”, avalia Bertolini.

O diretor da empresa enfatiza que o Brasil precisa investir na estrutura de armazenagem dentro das propriedades rurais para ter um modelo sustentável de negócios. “Nos Estados Unidos, que são uma referência na pós-colheita, 66% dos armazéns estão dentro das propriedades, enquanto no Brasil apenas 15% dos silos ficam nos locais de produção. Nossa capacidade estática de armazenagem de grãos ainda está concentrada em áreas urbanas e industriais e esse é um cenário que precisa mudar”, completa.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção estimada de grãos em 2023 é de 312,5 milhões de toneladas. Já a capacidade estática de armazenagem, conforme estimativa da Abimaq, é de 194 milhões de toneladas. “A falta de espaço adequado prejudica a qualidade dos grãos e pode representar perdas, inclusive com situações em que o produtor se obriga a deixar o produto depositado a céu aberto. É uma questão de segurança alimentar”, reforça Bertolini.

Notícias Agrícolas

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?