Safra de algodão pode superar 3 milhões de toneladas

Mato Grosso e Bahia são os principais estados produtores da fibra; em área plantada, respondem por quase 90% do total.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 07/03/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

A produção de algodão no Brasil deve ultrapassar três milhões de toneladas da fibra na safra 2022/23. Em 20 anos, a marca foi atingida apenas uma vez, no ciclo 2019/2020. Os produtores de algodão mantiveram a área plantada em um momento em que os custos de produção estavam nos patamares mais altos da história.

No atual ciclo, as lavouras brasileiras de algodão ocuparam 1,65 milhão de hectares, e a expectativa da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (ABRAPA) é de que a produtividade fique em torno de 1.827 quilos por hectare. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (02), na 70ª reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e seus Derivados, na sede do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), em Brasília.

Leia também:

Embora otimistas em relação aos números apresentados por todos os setores que participam da Câmara, os cotonicultores ressaltaram que ainda é muito cedo para contar a estimativa como certa, e o clima será definitivo para a confirmação.

Apenas recentemente o estado de Mato Grosso, maior produtor nacional de algodão, concluiu o plantio da safra, quase no limite da janela permitida, e razão do atraso na colheita da soja. As lavouras mato-grossenses somam 1,18 milhão de hectares. Na Bahia, segundo maior produtor brasileiro, a área plantada ficou em 312 mil hectares, um incremento de 1,8% em relação ao ano agrícola de 2021/2022.

O presidente da Abrapa, Alexandre Schenkel, explicou que o produtor brasileiro de algodão deu um importante recado para o mercado e que o setor está confiante com relação à safra 2022/23.

“Não apenas mantivemos nossa área, quando a situação se tornou desfavorável, como até tivemos pequeno incremento. Temos uma estrutura específica para o algodão e não podemos deixá-la ociosa. Acreditamos na cotonicultura, temos compromisso com o mercado, e, talvez antes mesmo do que esperávamos, vamos ser o primeiro exportador do produto no ranking mundial. O mundo pode contar com nosso algodão, que, além de escala, tem sustentabilidade e rastreabilidade”, afirmou Schenkel em entrevista à mídia.

Brasil Perfil

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?