Primeiro semestre do ano fecha com saldo positivo para as exportações de frutas

Limão, melão, manga, uva, maçã e abacate estão no topo das exportações

Tempo de leitura: 3 minutos

| Publicado em 21/07/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

Com população mundial se dedicado a uma alimentação mais saudável, o primeiro semestre de 2023 fecha com balanço positivo para as exportações de frutas brasileiras.  A demanda global por produtos frescos e saudáveis tem favorecido e o crescimento neste semestre foi de 19% em faturamento e 2% em volume de frutas exportadas.

O Brasil possui um clima favorável e uma diversidade de ecossistemas que permitem o cultivo de uma ampla variedade de frutas ao longo do ano. Além disso, o país possui extensas áreas de produção agrícola, o que contribui para o aumento da oferta e da exportação de frutas.

Leia também:

A fruticultura brasileira tem investido em tecnologia e infraestrutura, como sistemas de irrigação, armazenamento refrigerado e logística eficiente, para melhorar a qualidade e a conservação das frutas exportadas.

Para o presidente da Abrafrutas, Guilherme Coelho, o diferencial da fruta brasileira está ainda na qualidade e no sabor, o que tem agradado muito o mercado. Além disso, os produtores são certificados e tem atendido com eficiência as exigências do consumidor. 

“Os produtores brasileiros têm buscado obter certificações de qualidade e segurança alimentar, o que aumenta a confiabilidade das nossas frutas exportadas. Certificações como a GlobalGAP e outras são adotadas cada vez mais pelos produtores de frutas no país”, afirmou o presidente da Associação.

O limão está no topo das exportações neste ano. Já foram embarcadas cerca de 89 mil toneladas da fruta para o mercado internacional. É importante mencionar que ano passado o mercado chileno abriu as portas para o limão taiti brasileiro, com êxito nas tratativas em um curto espaço de tempo.

Na época, Abrafrutas avaliou o mercado chileno como promissor, pois o Chile importou cerca de 5 milhões de dólares da fruta em 2021 e a expectativa tem sido alcançar pelo menos 50% deste mercado. Além disso, as exportações para este país tendem a diminuir a dependência do Brasil com o mercado europeu.

Uma fruta que vem se destacando exatamente pelo conceito de saudabilidade e que cresceu nas exportações neste semestre de forma significativa foi o abacate, com arrecadação de 153% a mais que no mesmo período do ano passado e 175% no volume exportado.  

Melão, manga, uva e maçã também tiveram saldo positivo nestes seis primeiros meses do ano. O clima favorável neste período auxiliou na produção e na qualidade das frutas produzidas no Brasil, o que proporcionou uma oferta constante de frutas frescas e sazonais para os mercados internacionais.

Vale lembrar que o segundo semestre, historicamente, é o período onde se intensifica as exportações de frutas brasileiras, por conta da maior parte das frutas tropicas estarem no período da safra. Neste sentindo, em vista do que já está ocorrendo, as expectativas é que o setor feche o ano superando a marca de faturamento em 2021 de um bilhão de dólares. 

Além dos tradicionais mercados de exportação, como os países da União Europeia e os Estados Unidos, o Brasil tem buscado expandir para mercados emergentes, como China e países do Oriente Médio, onde há uma demanda crescente por frutas tropicais.

A Abrafrutas em parceria com o governo brasileiro tem trabalhado em diversas ações para abertura de novos mercados. Nos últimos meses, em estreita colaboração com as autoridades chinesas para estabelecer protocolos de exportação e garantir o acesso ao mercado chinês para as uvas brasileiras. Até o final do ano é possível ter novidades quanto a este mercado.

Além disso, a Associação e exportadores estarão participando nos próximos meses de dois grandes eventos que irão contribuir para o aumento das exportações de frutas, que são a Asia Fruit Logistica e a Fruit Attraction, essa é considerada uma das maiores feiras de fruta internacional.

Diante de tudo isso, é importante ressaltar que os desafios relacionados a questões fitossanitárias, logística e competitividade internacional continuam presentes. No entanto, o crescimento das exportações de frutas brasileiras tem sido notável e o país tem se consolidado como um importante fornecedor global de frutas frescas.

Notícias Agrícolas

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?