Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Organização Internacional de Cacau amplia projeção de déficit da amêndoa para safra 2022/23

Tempo de leitura: 3 minutos

| Publicado em 13/06/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

A Organização Internacional de Cacau divulgou um relatório com revisões dos dados de processamento e produção de cacau da safra 2021/22, assim como revisão das projeções para a temporada atual. No documento, houve um ligeiro aumento da produção mundial de 2021/22 em 500 toneladas, para 5,057 milhões de toneladas da amêndoa, com o processamento, por sua vez, sendo revisado para baixo em 62 mil toneladas. Para a safra 2022/23, espera-se um crescimento da produção em 3,8% e aumento do esmagamento da amêndoa em 1,5%. 

Para a produção em 2022/23, as estimativas anteriores da organização foram revisadas e o montante previsto caiu 30 mil toneladas, para 4,98 milhões de toneladas. Entre os países cujas projeções foram atualizadas e reduzidas, está a Costa do Marfim, com estimativa reduzida em 30 mil toneladas, a Indonésia, com queda de 20 mil, e o Brasil, com redução de 10 mil toneladas. No entanto, mesmo com queda dos resultados esperados para a temporada, espera-se que na Costa do Marfim e em Gana, países líderes na produção, os resultados sejam mais expressivos que na temporada anterior. Na Costa do Marfim, é previsto que o montante da produção cacaueira cresça 4% na temporada atual, indo de 2,121 milhões de tons em 2021/22 para 2,2 milhões de tons na atual temporada, enquanto em Gana o aumento previsto da produção é de 10% para 750 mil toneladas, uma recuperação da queda observada em 2021/22. Para o Brasil, o relatório destaca as chuvas abundantes nas regiões produtoras e estima um total de 210 mil toneladas ao fim da safra.  

1_

Quanto ao processamento na temporada 2022/23, a ICCO revisou suas projeções e estima que o montante de cacau processado deve ser cerca de 5,072 milhões de toneladas, 45 mil a mais que as estimativas divulgadas anteriormente pela organização. Há previsão de aumento do processamento em 35 mil toneladas na Costa do Marfim, 15 mil no Brasil e 10 mil na China e Suíça, ao passo que o resultado para os Estados Unidos foi diminuído em 20 mil toneladas e na Alemanha e Reino Unido em 10 mil cada. Na Europa, estima-se que o esmagamento de cacau cresça em 24 mil toneladas em relação ao ano safra anterior, na África o crescimento previsto é de 50 mil e nas Américas prevê-se uma queda de 3 mil toneladas. Para os países líderes da produção da amêndoa, Costa do Marfim e Gana, é previsto um montante de 750 mil e 300 mil toneladas esmagadas, respectivamente. 

Dessa forma, o déficit de 60 mil toneladas projetado anteriormente pela organização foi ampliado, de modo que, agora, a ICCO espera que ao fim da safra 2022/23 o déficit global de cacau seja de 142 mil toneladas. Nesse sentido, o relatório chama a atenção para a ocorrência de El Niño ainda neste ano, o que, a depender de sua intensidade, pode prejudicar o desempenho da atual safra intermediária e da temporada 2023/24 devido à queda de produtividade das lavouras em anos com presença do fenômeno climático. Destaca-se também que após as revisões, a relação estoque/uso passou de 32,9% para 32,2%, nível historicamente baixo para o mercado e que reforça a condição mais justa de oferta em relação à demanda.

2_

O resultado, de maneira geral, continua fornecendo suporte às cotações do cacau nas bolsas, que vem operando em seus maiores níveis em quase 7 anos, o que tende a atuar de maneira altista também para os preços praticados no mercado doméstico brasileiro. Apesar de a temporada anterior ter sido revisada para uma situação um pouco mais confortável, com redução do déficit e aumento do estoque final, a temporada 2022/23 mostra um cenário de balanço de oferta e demanda mais ajustado que o esperado. Adicionalmente, olhando para o longo prazo, o potencial impacto negativo do El Niño na produção no Oeste Africano, região responsável por cerca de 70% da oferta do mundo, eleva as preocupações com uma sequência de novos déficits nas próximas temporadas.

Notícias Agrícolas

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?