New Holland vende primeiro trator movido a biometano no Brasil

O trator T6.180 Methane Power, que utiliza o gás gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos como combustível, foi vendido para uma empresa de MS

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 20/04/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

A New Holland Agriculture vendeu o primeiro trator movido a gás biometano no Brasil.

O modelo T6.180 Methane Power, que utiliza o gás gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos como combustível, foi vendido para a SF Agropecuária, empresa com sede em Brasilândia (MS), do setor de suinocultura, e que abate cerca de 180 mil animais por ano, informa a New Holland, em comunicado.

Leia também:

O trator biometano é produzido em Basildon, na Inglaterra. Antes de estar disponível comercialmente no Brasil, o trator vinha sendo testado por aqui desde 2017, como protótipo.

“Essa nova tecnologia reforça a nossa liderança no desenvolvimento de combustíveis alternativos, mais sustentáveis e que entregam a mesma eficiência energética e operacional de um trator convencional, além de possuir uma melhor relação de custo-benefício para o produtor rural”, afirmou na nota Eduardo Kerbauy, vice-presidente da New Holland Agriculture para a América Latina.

Para o diretor da SF Agropecuária, Fábio Pimentel de Barros, a aquisição do trator representa ganhos ambientais e operacionais para as fazendas do grupo, que, além do plantel de suínos, tem também 33 mil bovinos, e uma produção de 1,6 mil hectares de soja e outros mil hectares de sorgo.

As atividades estão distribuídas em 3 fazendas. “Primeiramente, o trator biometano representa para nós uma energia limpa, renovável e que tem uma produção de CO2 muito menor que as demais. Além disso, ele apresenta um nível de consumo menor do que o diesel. E, também, traz maior conforto para o operador, por causa do baixo nível de ruído em comparação com um trator comum. Outra grande vantagem é que o combustível dele eu já tenho na fazenda”, argumentou.

Biometano

Além do trator biometano, o gás produzido nas fazendas da SF Agropecuária também serve para gerar eletricidade e abastecer um caminhão. “O gás que vira eletricidade é vantajoso, mas o gás que substitui o diesel é três vezes mais vantajoso em termos de economia”, comparou Barros.

A tecnologia de propulsão por biometano oferece inúmeras vantagens ambientais, incluindo a redução de até 80% das emissões em comparação com um motor diesel padrão. Ao usar o biometano, o impacto de carbono da máquina é virtualmente zero, e uma redução de custos entre 25% e 40% pode ser alcançada quando comparada com os combustíveis convencionais.

De acordo com Bruno Belorini, gerente de Marketing de Produto da New Holland Agriculture, o trator movido a biometano surpreende os clientes pela sua potência e torque semelhantes a um trator a diesel. O reabastecimento também é simples e muito parecido com o de um carro ou caminhão movido a GNV.

“A vantagem do gás metano como combustível é que ele pode criar um sistema de energia circular. Quando queimado em circunstâncias controladas em um motor como o do T6.180 Methane Power, os subprodutos são dióxido de carbono e água. Quando você considera o CO2 liberado na criação do combustível, não apenas nosso cliente se beneficia da redução de 11% de CO2 no tubo de escapamento, mas também pode se beneficiar da fonte do combustível”, afirmou Belorini.

As fazendas que operam com o biometano podem se tornar não apenas produtoras de alimentos, mas também fontes de combustível, e os tratores movidos a gás são os facilitadores desse processo circular. Produtos residuais, como esterco de gado, podem se tornar valiosas fontes de combustível. Além de ser mais limpo de manusear ao reabastecer e durante a combustão no motor, o metano é um combustível prontamente disponível, o que permite que os produtores rurais comecem a reduzir sua pegada de CO2 imediatamente.

Canal Rural

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?