Índice de preços Ceagesp fecha agosto em alta de 0,32%

O índice de preços Ceagesp encerrou o mês de agosto com alta de 0,32%, ante aumento de 0,88% no mês anterior

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 12/09/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

O índice de preços Ceagesp encerrou o mês de agosto com alta de 0,32%, ante aumento de 0,88% no mês anterior. “Com este resultado, o índice encerra o período com um acumulado de 1,72% no ano e 11,74% em 12 meses”, informou a empresa em nota.

O destaque do período foi o setor de Diversos – o único a apresentar deflação nos últimos 12 meses – que recuou 7,01%.

Leia também:

As principais reduções ocorreram nos preços de batata Asterix (-14,31%) e na lavada (-13,41%). As principais altas no setor ocorreram nos preços do alho nacional (+1,68%) e dos ovos de codorna (+0,14%). “Com o resultado obtido no período, o setor de Diversos encerrou o mês com um acumulado de -21,64% no ano e de -8,18% em 12 meses”, disse a Ceagesp.

O setor de frutas subiu 2,96%, puxado por limão taiti (+74,47%) e abacate Breda (+38,24%). As principais reduções ocorreram nos preços de mamão Havaí (-46,31%) e ameixa espanhola importada (-24,81%). “O setor de Frutas encerrou o mês com um acumulado de 5,59% no ano e de 15,28% em 12 meses. As entressafras do limão taiti, do maracujá azedo e da goiaba vermelha têm contribuído para a valorização desses produtos no mercado atacadista. A passagem do ciclone extratropical pelas regiões produtoras trouxe estragos e perdas na produção da banana nanica, causando a valorização do produto.”

O setor de legumes variou -0,98%. As principais reduções ocorreram nos preços de beterraba (-30,70%) e vagem macarrão (-27,89%). As principais altas ocorreram nos preços de abobrinha italiana (+25,59%) e chuchu (+17,69%). O setor de Legumes encerrou o mês com alta acumulada de 3,98% no ano e de 12,28% em 12 meses. “A baixa procura pelos produtos do setor fez com que os preços, em geral, se reduzissem no mercado atacadista.”

O setor de verduras variou -9,43%, com influência da couve manteiga (-29,52%) e do repolho liso (-28,24%). Os destaques de alta foram os preços do rabanete (+17,98%) e do brócolis ramoso (+16,59%). “O setor encerrou o mês com um acumulado de 4,36% no ano e de 15,88% em 12 meses. O bom resultado da colheita da safra de inverno, com qualidade e em quantidades suficientes, e a baixa procura mesmo com dias de calor acima da média para o período fizeram com que o setor encerrasse o mês com deflação”, enfatizou a Ceagesp.

O setor de pescados recuou 1,16%. As principais reduções ocorreram nos preços de betara (-23,53%) e namorado (-11,62%) e as principais altas ocorreram nos preços de sardinha fresca (+22,16%) e curimba (+15,03%). “O setor de Pescados encerrou o mês com um acumulado de -8,83% no ano e de 1,42% em 12 meses. Com a aproximação do fim do período de oferta (defeso) e, consequentemente, a formação dos estoques de congelados, a sardinha fresca entra em um período de valorização no mercado atacadista. Para o próximo mês, a tendência é que este movimento de valorização da sardinha fresca continue.”

Canal Rural

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?