Faturamento da exportação de arroz tem queda no primeiro trimestre

Embarques do cereal brasileiro já alcançam quase 80 países. Contudo, Abiarroz busca expandir envios para duas nações específicas

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 14/04/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

Em março, as vendas externas de arroz (base casca) totalizaram 118,3 mil toneladas, alcançando 79 países das Américas, África, Ásia e Europa, informa a Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz). Contudo, a presença massiva do cereal não tem sido, neste começo de ano, traduzida em bons números para o setor.

Isso porque a receita dos embarques no mês passado foi de US$ 45,6 milhões, ante US$ 49,9 milhões do mesmo mês de 2022, quando os envios atingiram 179,4 mil t, informa a entidade com base em dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Leia também:

Assim, as exportações de arroz beneficiado, de maior valor agregado, totalizaram 13,1 mil t, o equivalente a US$ 6,1 milhões em março de 2023. Os principais destinos foram Peru, Estados Unidos, Cabo Verde, Arábia Saudita, Bolívia, Trinidad e Tobago, Canadá, Barbados, Reino Unido e Bahamas.

Ainda segundo a Abiarroz, no primeiro trimestre, as vendas externas de arroz alcançaram 370,8 mil t, com faturamento de US$ 124,3 milhões. Nos primeiros três meses de 2022, o Brasil exportou 450,2 mil t, com divisas de US$ 132,5 milhões. Desta forma, o resultado consolidado deste ano é 6% inferior.

Ações de promoção do arroz

No primeiro trimestre do ano, a Abiarroz, por meio do projeto Brazilian Rice, desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), realizou ações no México e na China, visando impulsionar as exportações.

No México, foram realizadas rodadas de negócios com potenciais compradores do arroz beneficiado. Já na China, a entidade participou da missão empresarial organizada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e pela ApexBrasil.

Conforme a Associação, ambos os mercados são estratégicos e grandes consumidores de arroz. No caso da China, a Abiarroz vem trabalhando desde 2016 com o governo brasileiro para a abertura do mercado para o arroz beneficiado.

“Há uma demanda crescente pelo arroz quebrado na China, com aumento de mais de 500% das importações do produto entre 2013 e 2022. É uma oportunidade para o Brasil, já que a Índia, principal fornecedora, manteve a proibição de exportação de arroz quebrado”, diz a gerente de Exportação da Abiarroz, Carolina Matos.

A entidade defende a inclusão do arroz beneficiado na pauta da missão do governo brasileiro à China, liderada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Canal Rural

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?