Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

El Niño têm 95% de chance de continuar entre janeiro e março de 2024, diz centro de meteorologista dos EUA

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 19/09/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de Mercado

Há mais de 95% de chance de que o padrão climático El Niño continue durante o inverno do Hemisfério Norte, de janeiro a março de 2024, trazendo condições mais extremas, disse um centro de meteorologista do governo norte-americano nesta quinta-feira.

“Em agosto, as temperaturas da superfície do mar estavam acima da média em todo o oceano Pacífico equatorial, com fortalecimento no Pacífico central e centro-leste”, disse o Centro de Previsão Climática (CPC).

O El Niño é um aquecimento das temperaturas da superfície do oceano no Pacífico central e oriental que pode provocar fenômenos climáticos extremos, desde incêndios florestais até ciclones tropicais e secas prolongadas.

O fenômeno natural já está provocando calamidades em todo o mundo, e os riscos são maiores para os mercados emergentes, mais expostos a oscilações nos preços dos alimentos e da energia.

“À medida que o El Niño se fortalece, há uma boa probabilidade de que tenha um impacto na próxima estação de crescimento das áreas de produção agrícola do Hemisfério Sul”, disse Chris Hyde, meteorologista da empresa de tecnologia espacial Maxar.

“Isso inclui as colheitas na África do Sul, Sudeste Asiático, Austrália e Brasil, onde o clima é normalmente mais seco e mais quente do que o normal.”

“Apesar da amplitude média do conjunto ser praticamente a mesma do mês passado, o horizonte de previsão mais curto significa que as chances de pelo menos um El Niño ‘forte’ aumentaram para 71%”, disse o CPC.

Em julho, a Organização Meteorológica Mundial alertou que as temperaturas devem subir ainda mais em grande parte do mundo depois que o El Niño surgiu no Pacífico tropical pela primeira vez em sete anos.

O fenômeno também ameaça os suprimentos globais de arroz, em meio à proibição de embarques de uma variedade crucial do alimento básico do principal exportador, a Índia, além de outras commodities, como café, óleo de palma, açúcar, trigo e cacau do sudeste da Ásia, Austrália e África.

Notícias Agrícolas

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?