Egito vai importar algodão brasileiro, diz ministro

Carlos Fávaro falou sobre a necessidade de indústrias voltadas ao beneficiamento de algodão em Mato Grosso. Além disso, destacou as obras de infraestrutura que devem ser realizadas no estado.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 11/04/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Em entrevista ao jornal Bom Dia MT, na manhã desta quinta-feira (6), o Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro falou sobre a habilitação recebida pelo algodão brasileiro que, a partir de agora, será vendido para o Egito.

O ministro destacou a importância de se investir na industrialização do algodão em Mato Grosso, que é o maior produtor brasileiro desta cultura. “Precisamos de indústrias de fiação e tecelagem para valorizar ainda mais nosso produto que, recentemente, conseguiu aprovação e será vendido para o Egito”.

Leia também:

Fávaro disse que o estado já avançou muito em termos de industrialização, a exemplo das plantas frigoríficas instaladas, das usinas de beneficiamento de soja, dos confinamentos e integrados de aves e suínos, além das indústrias de etanol de milho.

“No entanto, o algodão ainda é um produto que precisa de atenção e de investimento”.

Infraestrutura

No entanto, o sucesso da industrialização passa pela infraestrutura. Mato Grosso ainda é carente de estradas e meios de escoamento dos produtos resultantes da agropecuária.

Nesta semana, a atenção foi voltada para a MT-170, antiga BR-174, onde a população enfrenta atoleiros e chega a passar cinco dias na estrada até chegar à via pavimentada. Imagens mostraram que mais de 10 mil litros de leite foram jogados fora, porque iam perder a validade antes que chegassem à distribuição.

Sobre este assunto, o ministro Carlos Fávaro afirmou que, na gestão anterior, nenhuma rodovia de Mato Grosso recebeu qualquer investimento do governo federal. “Nenhum quilômetro de rodovia foi pavimentado. Tudo que foi feito é resultado do que já tinha sido firmado em governos anteriores”.

Por outro lado, Fávaro defendeu que governo de Lula (anterior) fez muito pela infraestrutura de Mato Grosso, ou pelo menos, obras que foram iniciadas no governo dele, a exemplo da duplicação da BR-163 e o terminal rodoferroviário de Rondonópolis.

No caso da MT-170, o ministro garantiu que ela receberá investimento. “Foi um ano de muita chuva e a perspectiva é que a via possa receber investimentos agora no período de seca”.

Ele falou sobre o lançamento de um programa nacional de rodovias não pavimentadas que será realizado pelo Ministério da Agricultura e que inclui a parceria com prefeituras para pavimentação de estradas vicinais, encascalhamento e reconstrução de pontes.

Paralelo a isso, segundo Fávaro, o ministro dos Transportes, Renan Filho, já retomou inúmeras obras de infraestrutura em Mato Grosso. “Unidas, essas ações, trarão mais dinamicidade do desenvolvimento do estado”.

Primeira Página

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?