Café: clima no Brasil gera apreensão no mercado para a safra 2024/25

Níveis de chuva abaixo do normal é uma das ameaças que lavouras do grão pode enfrentar durante a safra 2024/25.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 17/01/2024 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

O mercado de café está em alerta devido às condições climáticas adversas no Brasil, especificamente nas regiões Sul de Minas Gerais e Espírito Santo, representadas por Três Pontas e São Mateus, respectivamente.

O recente relatório da hEDGEpoint Global Markets destaca que a fase crítica de desenvolvimento da safra 2024/25 está no centro das atenções, e as condições climáticas atuais estão gerando preocupações entre os produtores.

Leia também:

Em Três Pontas, Minas Gerais, uma área crucial para a produção de café, a precipitação acumulada de outubro a meados de dezembro está 30% abaixo do normal. Isso levanta sérias inquietações sobre os possíveis impactos negativos na produção. A região é particularmente vulnerável devido à sua dependência significativa da precipitação durante essa fase crucial.

Na região de São Mateus, Espírito Santo, apesar da irrigação generalizada, apenas 20% dos níveis esperados de chuva foram registrados no mesmo período, indicando uma situação mais grave e aumentando as preocupações sobre a produção de café na área.

O balanço hidrológico atual no Sudeste assemelha-se ao registrado em 2020, antecedendo a quebra na safra 2021/22, resultando em uma redução de 3% na produtividade média em comparação com o ano anterior de bienalidade negativa (19/20).

Modelos de previsão indicam uma continuidade na redução até o início de janeiro, com áreas em Minas Gerais, Mogiana e Paraná esperando receber apenas 80% dos níveis normais de chuva.

Natália Gandolphi, analista de Café da hEDGEpoint Global Markets, destaca a importância desta fase de enchimento, observando que a precipitação inadequada durante este período pode afetar significativamente os rendimentos.

As previsões indicam que as regiões no Sul de Minas Gerais, Mogiana e Paraná podem receber apenas até 80% dos níveis normais de precipitação, levantando preocupações sobre o potencial impacto na produção de café nessas áreas.

Em resumo, as atuais condições climáticas no Brasil estão gerando apreensão no mercado de café, reacendendo as preocupações enfrentadas em 2020. Os níveis de precipitação abaixo do normal representam uma ameaça significativa para a safra 2024/25, destacando a necessidade de monitoramento contínuo das condições meteorológicas nas regiões produtoras de café no país.

Canal Rural

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?