Acesse

Boi: semana começa com preços em alta

No mercado brasileiro do boi gordo, as negociações envolvendo animais padrão China voltaram a acontecer acima da referência média.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 29/03/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

No mercado brasileiro do boi gordo, as negociações envolvendo animais padrão China voltaram a acontecer acima da referência média na região Sudeste.

O destaque para a segunda-feira (27), segundo o consultor de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, esteve em Minas Gerais.

“Conforme já retratado, os frigoríficos optaram por manter suas escalas de abate encurtadas durante o período de embargo. No Centro-Norte do país ocorrem negócios acima da referência média envolvendo animais padrão China. No entanto, animais destinados ao mercado doméstico apresentam acomodação em seus preços”, comenta.

Para o curto prazo o viés é de alta das cotações até para animais destinados ao mercado doméstico em função da entrada dos salários na economia, motivando a reposição ao longo da cadeia produtiva.

  • Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 297, no comparativo com R$ R$ 296 de sexta-feira.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 274, estável.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 252,00, sem alterações.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 297 por arroba, contra R$ 290 de sexta-feira.

Boi no atacado

O mercado atacadista apresenta preços acomodados.

A expectativa é de maior propensão a reajustes durante a primeira quinzena de abril, período que conta com maior apelo ao consumo.

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 518,593 milhões em março (18 dias úteis), com média diária de US$ 28,810 milhões.

A quantidade total exportada pelo país chegou a 107,470 mil toneladas, com média diária de 5,970 mil toneladas.

O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.825,40.

Em relação a março de 2022, houve perda de 36,5% no valor médio diário da exportação, queda de 22,3% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 18,3% no preço médio.

  • Quarto dianteiro ainda é cotado a R$ 14,20, por quilo.
  • Quarto traseiro segue precificado a R$ 20, por quilo.
  • Ponta de agulha segue cotada a R$ 14,30, por quilo.

Canal Rural

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?