Boi gordo: mercado abre semana em compasso de espera; preços da arroba seguem estáveis

Analistas da S&P Global acreditam que especulação baixista perdeu força nos últimos dias. China, porém, continua fora das compras de carne brasileira.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 08/03/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

O início de semana foi marcado pela grande morosidade no mercado brasileiro do boi gordo, em função da ausência de boa parte dos agentes nas negociações, informam nesta segunda-feira (6/3) as consultorias que acompanham diariamente o setor pecuário.

“A notícia positiva para os pecuaristas é que a especulação baixista parece ter perdido força nos últimos dias”, afirma a S&P Global.

Leia também:

De maneira geral, há uma espera por maiores informações em relação ao impasse comercial entre Brasil e China, devido ao surgimento de um caso atípico de “vaca louca” no Pará.

Neste contexto, as condições de preços não apresentaram alterações ao longo desta segunda-feira, enfatiza consultoria.

“Os pecuaristas, munidos de boas condições de pastagem, têm represado parte da oferta de animais gordos nas propriedades, resistindo em ceder às pressões de baixas verificadas ao longo da última semana”, acrescenta a S&P Global.

Pelo lado das indústrias, os estoques de carne bovina ainda permanecem em patamares elevados, já que, além da produção regular voltada ao mercado doméstico, as câmaras frias estão ocupadas pela mercadoria que seria direcionada ao mercado chinês.

A S&P Global também apurou que a oferta de boiada gorda está mais enxuta, fator que também fundamenta o aperto nas escalas de abate de algumas unidades frigoríficas brasileiras, sobretudo nos Estados de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

Segundo a consultoria, nesta segunda-feira, algumas indústrias paulistas foram em busca de animais terminados em outros Estados, visando complementar as suas programações de abate.

Pelos dados apurados pela Scot Consultoria, após a confirmação da atipicidade do caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina – EBB (ou “vaca louca), os frigoríficos paulistas estão aos poucos retornando às compras de animais gordos.

Porém, com a oferta de bovinos ajustadas à demanda, os preços seguiram estáveis na praça paulista, na comparação com o fechamento de sexta-feira (3/3).

Dessa maneira, o boi gordo continua valendo R$ 277/@, enquanto a vaca e a novilha gordas são negociadas por R$ 260/@ e R$ 270/@, respectivamente (preços brutos e a prazo).

Para o “boi-China” (abatido mais jovem, com até 30 meses de idade), não há ofertas de compra, acrescenta a Scot.

Preço futuro – O mercado futuro já iniciou movimentos de ajustes positivos nos contratos do boi gordo da B3.

“As cotações com vencimentos nos meses vindouros já retomaram a patamares acima dos R$ 300/@, indicando que há um possível gatilho para uma recuperação dos preços arroba, estimulada pela eventual retomada das exportações de carne bovina à China”, observa a S&P Global.

Portal DBO

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?