Publicidade

Trigo Balanço Mensal Nov/21: dólar e preços externos em alta sustentaram cotações do trigo brasileiro

No mês de novembro os produtores brasileiros de trigo apresentaram resistência às pedidas menores dos compradores, uma vez que a alta do dólar e cotações do cereal no mercado externo manteve a paridade de importação elevada. Mesmo com a safra chegando a reta final, aquecendo a oferta, o trigo não demonstrou nenhum sinal de recuo, o que obrigou o lado comprador a repor seus estoques por mais uma safra com custos elevados. No mercado externo a tendência de alta continuou, com os índices futuros do trigo na Bolsa de Chicago chegando alcançando sua máxima em nove anos, fundamentados pelo ritmo aquecido da demanda global e quebra na safra de importantes países exportadores. Por outro lado, já na virada do mês, os preços recuaram, assim como em outras commodities agrícolas, perante o risco eminente de uma nova onda de contágio global da Covid, que poderia ser provocada pela variante ômicron. Confira:

Tempo de leitura: 4 minutos

| Publicado em 26/06/2022 por:

Eng. Agrônoma especializada em Administração Agrícola e Comércio Exterior.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No mês de novembro os produtores brasileiros de trigo apresentaram resistência às pedidas menores dos compradores, uma vez que a alta do dólar e cotações do cereal no mercado externo manteve a paridade de importação elevada. Mesmo com a safra chegando a reta final, aquecendo a oferta, o trigo não demonstrou nenhum sinal de recuo, o que obrigou o lado comprador a repor seus estoques por mais uma safra com custos elevados. No mercado externo a tendência de alta continuou, com os índices futuros do trigo na Bolsa de Chicago chegando alcançando sua máxima em nove anos, fundamentados pelo ritmo aquecido da demanda global e quebra na safra de importantes países exportadores. Por outro lado, já na virada do mês, os preços recuaram, assim como em outras commodities agrícolas, perante o risco eminente de uma nova onda de contágio global da Covid, que poderia ser provocada pela variante ômicron. Confira:

Você precisa ser um assinante para ler essa publicação.

ou

Conheça alguns dos nossos planos abaixo

Assine agora e usufrua dos benefícios.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?