Veja tudo sobre os mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Publicidade

Como ficam os preços da farinha de trigo no Brasil com a queda do cereal no exterior?

Apesar da despencada de preços do trigo no mercado externo nos últimos dias, cereal brasileiro segue praticamente estável e diante da menor oferta do grão, moinhos tentam se manter firmes na cotação da farinha

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 19/07/2022 por:

Eng. Agrônoma especializada em Administração Agrícola e Comércio Exterior.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A virada do mês de julho foi de novos aumentos para o preço da farinha de trigo no Brasil diante da valorização do dólar, alta nos custos de produção, bem como, menor disponibilidade de matéria-prima devido ao período de entressafra, que de certo modo, limita a moagem de trigo e oferta de derivados em determinadas regiões.
Neste sentido, muitos moinhos relataram que planejam no mínimo estender as tabelas de julho para serem trabalhadas no mês de agosto, pois embora as cotações do trigo no mercado externo tenham sinalizando depreciação, os preços do trigo no Brasil ainda trabalham de forma bastante elevada, especialmente porque no momento a oferta é restrita.


Alguns especuladores acreditam que diante do otimismo com a próxima safra brasileira de trigo, há chances de que o preço do cereal possa ser pressionado no período da colheita, isto porque, diante da forte produção da safrinha de milho, muitos armazéns ficarão lotados com o grão amarelo e precisarão criar mecanismos para escoamento do trigo ou do milho, fato este que pode acelerar a oferta.


Sendo assim, pode haver a probabilidade da cotação das farinhas ser pressionada em mais alguns meses, mas por enquanto, esta hipótese encontra-se descartada, especialmente porque, com o aumento do Auxílio Brasil vindo por aí, é possível que o consumo por derivados de trigo aumente pela população, em especial, os produtos de panificação.

Leia também:

FUNDAMENTOS DE FORMAÇÃO DE PREÇOS

  1. Dólar em alta na semana de 11 a 18 de julho fechando com +1,01% passando de R$ 5,371/US$ para R$ 5,4257/US$.
  2. Farelo de Trigo: chegada do inverno auxilia na demanda por farelo.
  3. No mercado de lotes, o trigo do Estado do Paraná se manteve estável em relação a semana anterior. Pedida vendedor na casa de 2.300/ton FOB. No Rio Grande do Sul, preços na média de R$ 2.180/ton FOB.
  4. Preço de importação do trigo argentino 12,0% de proteína safra atual (jul/22) valendo R$ 2.560/ton, variação de +1,11% em relação a semana anterior, posto em Santos-SP (trigo + frete marítimo + descarga + seguro) considerando o dólar médio da semana em R$ 5,405. Na referência do trigo americano (hard) embarque em ago/22, cotado na média de R$ 2.530/ton, variação de -1,50%, considerando isenção da TEC.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?