MINUTO DO MILHO: comercialização do cereal mais lenta no Brasil

O ritmo mais lento das exportações, assim como na comercialização interna do milho, foi um dos responsáveis pelas quedas do cereal na B3.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 30/01/2024 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

A semana começou com atualização da Balança Comercial no Brasil.

Leia também:

Segundo os dados da Secex, até a 4° semana de janeiro foram exportadas 4,593 milhões de toneladas de milho, representando 74,8% do volume total embarcado em janeiro de 2023.

A média diária dos embarques nestes 19 dias úteis foi de 241,737 mil toneladas.

O ritmo mais lento das exportações, assim como na comercialização interna do milho, foi um dos responsáveis pelas quedas do cereal na B3, onde o contrato março encerrou a segunda-feira (29) variando -1,94%.

Outro ponto de pressão para as cotações vem dos trabalhos no campo, uma vez que o plantio da soja avançou em ritmo acelerado, o que pode permitir o plantio do milho safrinha dentro da janela ideal.

Segundo a Conab, o plantio do milho 1° safra avançou para 92,4% da área total no país, um atraso de 5,4 pontos percentuais ante a safra anterior.

A colheita do milho verão avançou para 10,4% das lavouras totais, com destaque para o Rio Grande do Sul com 30% das lavouras finalizadas.

O milho safrinha também avançou, com o plantio chegando aos 10,3% da área estimada, 6,4 pontos percentuais a frendo dos trabalhos em igual período de 2023.

No mercado externo, os futuros do milho contrato março recuam em Chicago, pressionados pela recente queda do trigo.

Para as inspeções semanais, o USDA informou que na semana encerrada no dia 25 de janeiro foram inspecionadas 901,958 mil toneladas de milho, volume acima da semana anterior e das 544,456 mil toneladas inspecionadas em igual período do ano anterior.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?