Acesse

MINUTO DO CAFÉ: futuros do arábica atuam em “queda livre” na bolsa da ICE

Nesta quarta e quinta-feira (12 e 13), os futuros do café na ICE simplesmente derreteram. Essas duas sessões somaram uma queda de -8,12%!

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 13/10/2022 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Quando a esmola é demais, até o santo desconfia! Para quem acompanha o mercado do café, não é nenhuma novidade a volatilidade do ativo e, muito menos o impacto da economia mundial sobre esse bem não essencial a vida. O fato é que, a commodity estava se mantendo muito bem frente a todo o cenário macroeconômico negativo. Entre algumas preocupações com a oferta e apostas de que não haveria significativa redução no consumo da bebida, as baixas nas cotações eram limitadas. Porém, esse suporte não aguentou por muito mais tempo.

Nesta quarta e quinta-feira (12 e 13), os futuros do café na ICE simplesmente derreteram. Essas duas sessões somaram uma queda de -8,12%, levando o contrato dezembro (KCZ22) a valer US$ 201,45 cents/lp. O início do ocorrido foi apoiado na liberação dos dados do Cecafé para a exportação brasileira. No mês de setembro, o volume exportado foi de 3,386 milhões de sacas, o que representa um aumento de 4,5% ante ao mesmo mês do ano anterior. Além disso, no acumulado de 2022, até o momento, o total exportado foi de 28,748 milhões de sacas! 7,1% a mais que o acumulado até setembro de 2021. A receita cambial acumulada pelas exportações do Brasil já somou 6,730 bilhões de dólares, um recorde que já aumentou em mais de 60% a receita para o mesmo período do ano passado.

Nesta quinta-feira (13), outro ponto de pressão para as cotações do café foi apresentado: a Inflação do Preços ao Consumidor dos EUA e a inflação na Alemanha. Ambos os países são importantes consumidores do produto, sendo também os dois maiores importadores do café brasileiro. O resultado do IPC americano para o mês de setembro foi de 0,6%, acima dos 0,5% esperados pelo mercado, acumulando no ano 6,6%. Tal resultado traz pressão sobre o Fed o que, deve gerar elevações mais agressivas na taxa de juros americana.

Na Europa, o Escritório Federal de Estatística da Alemanha informou uma alta de 10% na inflação anual alemã e 1,9% no mês, reforçando ainda mais a preocupação com o consumo da bebida nessas importantes regiões.

Como suporte, impedindo maiores baixas, os estoques certificados da ICE continuam caindo, atualmente com um volume de apenas 416.399 sacas. A possibilidade de uma menor oferta mundial do grão ainda permanece, de olho na queda das exportações da Colômbia em -25% nesse último mês e na informação da OIC sobre a queda de -1,9% nas exportações globais no mês de agosto.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?