Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

MINUTO DA SOJA: exportações brasileiras da oleaginosa vem abaixo do esperado

Segundo os dados da Secex, foram exportados no mês de janeiro um volume de apenas 851,878 mil toneladas de soja, representando uma queda de 65% ante as exportações do mesmo mês em 2022.

Tempo de leitura: 3 minutos

| Publicado em 02/02/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

A primeira quarta-feira (01) de fevereiro já iniciou a todo vapor. No Brasil, contamos com a atualização da Balança Comercial pelo Ministério da Economia. Segundo os dados da Secex, foram exportados no mês de janeiro um volume de apenas 851,878 mil toneladas de soja, representando uma queda de 65% ante as exportações do mesmo mês em 2022.

Mesmo com números frustrantes para a exportação, as estimativas seguem sendo de safra recorde para o país. Nesta quinta-feira (02), a Abiove atualizou suas projeções para a safra 2023 e os números se mantém inalterados.

A produção de soja brasileira deve girar em torno de 152,6 milhões de toneladas e o processamento do grão em 52,5 milhões. A produção de farelo deve ser 40,2 milhões de toneladas e de óleo de soja 10,7 milhões. As exportações também seguem inalteradas, mesmo após a Balança Comercial de janeiro, ficando em 92 milhões de toneladas para o grão, 20 milhões de toneladas para o farelo de soja e 1,75 milhões para o óleo.

No mercado físico, os preços da saca não apresentam maiores variações e o indicador Paranaguá/CEPEA recua -0,1%.

E falando em óleo de soja, o derivado foi o responsável pela queda nos futuros da oleaginosa em Chicago nesta quarta-feira (01). O movimento veio após a divulgação dos estoques de diesel nos Estados Unidos, que vieram acima do esperado e levaram o diesel para uma queda naquele dia de quase 4%. O contrato março de soja recuou -1,16%.

Ainda nos Estados Unidos, o USDA atualizou os dados quanto as exportações semanais de grãos para exportação. Na semana entre 20 e 26 de janeiro, o volume de soja exportado chegou a 736 mil toneladas, uma queda de 36% ante a semana anterior. As vendas foram para a China, Japão, Indonésia, Taiwan e Países Baixos.

Ademais, o mercado segue preocupado com a seca na Argentina e o impacto nas lavouras. Apesar do plantio se soja ter finalizado naquele país, o adido do USDA na Argentina reportou nesta quarta-feira (01) que projeta uma produção de 36 milhões de toneladas para a oleaginosa. Isso representaria uma redução de 9,5 milhões de toneladas frente as estimativas oficiais do departamento.

Fonte: SMN

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?