Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

MINUTO DO MILHO: alerta de temperaturas elevadas na Argentina

Além dos riscos de incêndios em boa parte do território, as lavouras argentinas estão sendo gravemente afetadas.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 07/12/2022 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

A semana está bem estável para os futuros do milho nas principais bolsas e para os preços no mercado doméstico. No Brasil, as negociações são pontuais no mercado doméstico e o valor da saca não apresenta maiores variações. Nesta terça-feira (06) o indicador Esalq teve leve valorização de +0,7%, valendo R$86,10. No mesmo dia, a Bolsa Brasileira tinha valorização de +0,26% para o vencimento dezembro e de +0,54% para o vencimento março/23.

No estado do Paraná, a Deral informou que nesta segunda-feira (05) foi finalizado o plantio do milho verão nas áreas previstas. Dentro disso, eles classificaram que 82% das lavouras se encontram em condições boas/excelentes, 16% em condições médias e 2% ruins.

Com o La Niña presente na América do Sul, a preocupação gira em torno das temperaturas elevadas e escassez de chuvas em importantes regiões produtoras do cereal, como o Brasil e a Argentina. Após a quebra de safra na União Europeia, a cautela do mercado está na oferta dessa commodity para 2023.

Na Argentina, estudos apontam que as temperaturas para os próximos dias podem ultrapassar 45°C! Além dos riscos de incêndios em boa parte do território, as lavouras argentinas estão sendo gravemente afetadas. O milho que já foi semeado está sofrente com a estiagem, em especial ao norte de Bueno Aires, oeste de Entre Rios e sul de Santa Fé.

Temperatura máxima no dia 06
Fonte: NOAA

A preocupação com a oferta vem servindo de suporte para os futuros do cereal, porém a recente renovação do temor por uma recessão econômica limita as altas e pressiona os preços das commodities.

Nesta quarta-feira (07), a estabilidade permanece, levando os futuros do milho na B3 a uma leve desvalorização de -0,03% para o vencimento março no início da tarde, que valia em torno de R$87,45. Na CBOT, em mesmo momento, o contrato março (ZCH3) operava em leve alta de +0,73%, cotado a US$ 6,41 por bushel.

Ademais, as movimentações devem permanecer lateralizadas, com o mercado aguardando os novos dados de Oferta e Demanda global, os quais serão atualizados nesta sexta-feira (09) pelo USDA.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?