Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

MINUTO DO CAFÉ: a curva dos preços está invertida!

No momento, os futuros do café na ICE Futures, estão com a curva invertida, ou seja, os vencimentos curtos valem mais do que os longos.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 29/09/2022 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Nesta quarta-feira (28), os futuros do café arábica em NY (KCZ22) tiveram forte valorização, de +1,94%, alcançando uma máxima de US$ 229,40 cents/lp. A valorização ocorreu frente ao temor pela oferta desse produto. Com a menor disponibilidade de arábica na Colômbia e de robusta no Vietnã, ante às quebras de safra, os preços contam com um forte suporte. Além disso, a safra brasileira de arábica também apresentou um volume menor do que o esperado. Para completar, os estoques certificados da ICE continuam em queda, atingindo no momento 444.699 sacas, menor patamar em 23 anos.

Ainda ontem (28), com a desvalorização do real ante ao dólar, as exportações brasileiras foram impulsionadas, visto que os vendedores estavam aproveitando a valorização do ativo. Em resposta ao aumento da liquidez dos negócios, os basis apresentaram leves quedas, chegando a -13 cents contra a ICE US no FOB porto de Santos. No longo prazo, os basis devem retomar seu valor ante a entressafra brasileira e a baixa oferta do grão. O mercado físico brasileiro sofreu uma alta nos preços, causada pelas movimentações dos vendedores com a notícia de que haverá o retorno das chuvas e boas expectativas para as floradas. No Sul de Minas, a bebida boa estava sendo negociada a R$ 1.310 a saca e a R$ 1.340 no Cerrado e na Alta Mogiana.

Esta quinta-feira (29) foi de correção técnica para os preços do café. O contrato dezembro em NY (KCZ22) fechou o dia com desvalorização de -1,44%, cotado a US$ 225,70 cents/lp. Com o temor por uma recessão economica a espreita, as previsões climáticas para o Brasil, maior produtor mundial de arábica, auxiliaram um pouco no “empurrão” do topo da colina. A previsão indica que para outubro, haverá chuvas regulares que não apenas irão repor as condições hídricas, como também beneficiar as novas floradas para a safra 2022/23, aumentando as perspectivas para a produção do nosso querido café.

É interessante observar como o mercado precifica as futuras condições de oferta e demanda. No momento, os futuros do café na ICE Futures, estão com a curva invertida, ou seja, os vencimentos curtos valem mais do que os longos. Essa dinâmica diz muito para ambas as pontas, produtor e consumidor, atentando para as estratégias corretas a serem adotadas.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?