Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

MINUTO DA SOJA: preocupação com a safra na Argentina e dados das inspeções semanais para exportação nos EUA

O La Niña está causando anomalias climáticas que afetaram, em especial, a Argentina.

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 06/12/2022 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Nesta terça-feira (05), acompanhamos os futuros da soja operarem em alta lá na bolsa de Chicago. Pela manhã, o contrato janeiro (ZSF3) subia +1,17%, cotado em torno de US$ 14,54 por bushel.

O clima na América do Sul vem preocupando o mercado e atuando como importante suporte para os preços. O La Niña está causando anomalias climáticas que afetaram, em especial, a Argentina. Neste país, as chuvas foram irregulares e as lavouras estavam sofrendo com pontos de déficit hídrico. Para os próximos 10 dias, a situação pode piorar ainda mais. Estudos meteorológicos apontam que o vizinho argentino terá dias muito quentes que irão acarretar perdas significativas para a soja. No mapa abaixo, podemos observar as temperaturas máximas na região durante o dia 04 de dezembro.

Outro suporte importante está no relaxamento das políticas de covid-zero na China. Além de cidades permitindo a permanência em suas próprias casas de pessoas com casos assintomáticos, o código verde está sendo abandonado. A perspectiva de consumo naquele país está cada vez mais positiva, puxando as commodities.

Nos EUA, o USDA atualizou os dados das inspeções semanais para exportação da oleaginosa até o dia 05, o qual somou um volume de 1,721 milhão de toneladas. Também foi reportado a venda de 130 mil toneladas de soja para a China.

No Brasil, a comercialização no mercado físico está quase engatando a ré. Além do clima de feriado, os preços da saca de soja não estão atrativos para os produtores. Muitos me falaram que vão esperar por patamares mais elevados. Na outra ponta, compradores também não estão muito animados, alegando já estarem abastecidos para o final do ano. Nesta semana, a média de preços em Santa Catarina recuou -1,4%, valendo R$ 168,20 e em São Paulo o recuo foi de -1,2%, com a saca valendo R$ 170,50.

Até a última quinta-feira (01), o plantio da soja brasileira alcançou 91% do total. Apesar do progresso de 4 pontos percentuais ante a semana anterior, as chuvas irregulares e seca ainda preocupam a região Centro-Oeste e Sul do país. Em momento importante para a lavoura definir sua produtividade, as previsões de chuvas para os próximos dias são muito aguardadas pelos produtores.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?