Acesse

Veja as cotações dos mercados abaixo:

Veja as cotações dos mercados abaixo:

MINUTO DA SOJA: após exportações de soja no Brasil baterem recorde em março, cenário é otimista

Após as exportações ultrapassarem os números do ano passado para no mês de março, e com a necessidade de soja na Argentina, os produtores se encontram otimistas nesta semana, mesmo após nova queda dos preços da saca no mercado físico nesta segunda-feira (10).

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 11/04/2023 por:

Engenheira Agrônoma | Analista de mercado

Começando pelo Brasil, onde contamos com a atualização da Balança Comercial preliminar do mês. Segundo os dados da Secex, durante a 1° semana de abril foram exportadas 3,788 milhões de toneladas, o que representa 33% das exportações totais em abril de 2022.

Após as exportações ultrapassarem os números do ano passado para no mês de março, e com a necessidade de soja na Argentina, os produtores se encontram otimistas nesta semana, mesmo após nova queda dos preços da saca no mercado físico nesta segunda-feira (10).

Para a colheita da oleaginosa no país, os trabalhos no campo alcançaram 82% do total até a última quinta-feira (06), um avanço de 6 pontos percentuais ante a semana anterior, porém ainda com os trabalhos atrasados em 2 pontos percentuais quando comparamos com o ano anterior. A colheita está praticamente encerrada nos estados do Centro-Sul.

Quanto ao mercado externo, todos os olhos estão voltados para as atualizações do USDA. Na segunda-feira tivemos as inspeções semanais para exportação de grãos nos Estados Unidos, que até o dia 06 somavam 669,566 mil toneladas, abaixo do volume de 821,064 mil inspecionadas em igual período do ano anterior.

Para a terça-feira (11), temos importante atualização do relatório de oferta e demanda global. Tratando da soja, o USDA fez pequenas alterações nas estimativas, e vemos os números para a produção mundial recuarem de 375,15 milhões de toneladas para 369,64 milhões. Os estoques finais tiveram pequena elevação e foram para 100,29 milhões de toneladas.

Sem alteração para os números nos Estados Unidos, vemos aumento nas estimativas da soja para o Brasil. A produção deve ser de 154 milhões de toneladas e os estoques finais subiram para 32,75 milhões de toneladas.

A maior alteração vem para a Argentina, o que já era esperado pelo mercado devido a quebra de safra naquele país causado por condições climáticas adversas. A produção foi estimada em apenas 27 milhões de toneladas, um novo corte de 6 milhões de toneladas.

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

plugins premium WordPress

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?