Publicidade

Forte demanda alavanca os preços do trigo na Bolsa de Chicago neste início de semana

Vencimentos futuros registraram ganhos próximos de 5% mediante a maior demanda de exportação de importantes países importadores

Tempo de leitura: 2 minutos

| Publicado em 18/07/2022 por:

Eng. Agrônoma especializada em Administração Agrícola e Comércio Exterior.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A cotação do trigo encerrou em alta nesta segunda-feira (18) na Bolsa de Chicago diante da forte demanda de exportação pelo cereal, especialmente pelo Egito e Paquistão, importantes importadores do grão no mercado global. Além disso, a fraqueza presenciada no dólar norte-americano por alguns países, também impulsionaram as altas.

Leia também:

Neste sentido, os vencimentos futuros de set/22 a jul/23 registraram aumentos todos acima de 4% na variação diária, tanto para o trigo soft, como o trigo hard.

De acordo com o noticiário norte-americano Farm Futures, ao Egito abriu uma forte licitação para compra de trigo nesta segunda, com EUA incluídos no mix de oferta. O trigo europeu também teve alta acentuada.

Os ganhos poderiam ter sido maiores, se não fosse o USDA demonstrar uma queda expressiva nas inspeções de exportação de trigo na semana encerrada em 14 de julho, contabilizando apenas 185,98 mil toneladas, contra 310 mil tons registradas na semana anterior. No acumulado do ano/safra as vendas atuais estão em 2,108 milhões contra as 2,870 milhões de toneladas registradas na mesma época do ano anterior.

Na Ucrânia, as exportações semanais de trigo da Ucrânia mais que dobraram totalizando 80 mil toneladas na última semana e registrando um total de 132 mil na primeira quinzena de julho/22. No entanto, isso representa uma queda de mais de 50% quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Foi relatado que as Filipinas compraram dois carregamentos de trigo para alimentação de outubro a novembro das origens do Mar Negro/europeu ou da Austrália. E em um movimento esperado pelo mercado, é possível que isso ajude nas exportações dos EUA, tendo em vista que o governo russo aumentou novamente os impostos de exportação de grãos para o período de 20 a 26 de julho, fixado em RUB 426/tonelada ou US$ 104,04/tonelada.

Enquanto isso nos EUA, o USDA relatou ao final da tarde desta segunda (18), que a fase de frutificação do trigo de primavera nos EUA chegou a primavera dos EUA chegou a 68% até o último domingo, com avanço de 24% em uma semana, mas atraso de 23% quando comparado ao ano anterior. Isso também está inferior aos 90% da média dos últimos cinco anos.

Nas condições de lavouras, o trigo de primavera demonstrou melhora de 1% em relação a semana anterior, ficando com 71% das áreas avaliadas em boas a excelentes condições, estando em linha com a previsão dos analistas de comércio.

Já a colheita do trigo de inverno se aproxima da sua reta final, com 70% das áreas de trigo já retiradas do campo, contra 71% da mesma época de 2021 e 71% da média das últimas cinco safras. Os analistas aguardavam que os números tivessem avançado um pouco mais, com 75% das lavouras concluídas.

Já na França, as condições do trigo mole francês melhoraram um ponto para 64%, enquanto a colheita atingiu a metade do caminho. As classificações de trigo estão bem atrás dos 76% relatados no mesmo período de 2021, de acordo com dados semanais da Franceagrimer.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

TAGS:

Acesse todos os nossos conteúdos

Publicidade

Publicidade

Seja um assinante e aproveite.

Últimas notícias

Acesse a sua conta

Ainda não é assinante?