Mercado da soja assombrado por fatores baixistas

  • 30/04/2019
  • 4
  • Categoria(s): Mercado de soja |

O mercado internacional da soja continua sob pressão em meio a preocupação com a demanda chinesa em razão da peste suína, a disputa comercial entre os EUA e a China e a... (Efetue o Login ou Cadastre-se para continuar lendo)

O mercado internacional da soja continua sob pressão em meio a preocupação com a demanda chinesa em razão da peste suína, a disputa comercial entre os EUA e a China e a ampla oferta mundial da oleaginosa.

A safra de soja 2018/19 do Brasil está posicionada para ser a segunda maior já registrada. Estão previstos 115,46 milhões de tons da oleaginosa nesta temporada, abaixo apenas da produção recorde do ano passado, de 119,3 milhões de tons. Na Argentina, já foram colhidas 50% das lavouras de soja, com rendimentos que continuam a exceder as expectativas iniciais.

As notícias sobre a China continuam a assombrar o mercado dos grãos e, desta vez, não pela disputa comercial com os EUA, que ainda não chegaram a um acordo, mas sim por causa das consequências que estão por vir da epidemia de peste suína nas granjas chinesas. O rebanho de suínos no país caiu para o nível mais baixo em 17 anos. Ao diminuir o número de animais, a demanda por soja diminui, o que é uma das principais fontes de alimentação suína no país.

Adicionado a isso, as chuvas excessivas nos EUA ameaçam atrasar o plantio da nova safra de milho, o que poderia levar o agricultores a optarem por destinar algumas áreas ao plantio de soja, cuja janela de plantio é maior que a do milho.

Os fundos especulativos nos Estados Unidos continuam a descontar um mercado de baixa, aumentando suas posições vendidas, que são recorde em milho e agora também em soja. Esta posição dos fundos abre a porta para um possível aumento caso eles mudem sua visão e comecem a massivamente desarmar suas posições.

TABELA AFNEWS DE PREÇOS DA SOJA EMGRÃO, ÓLEO E FARELO NA CBOT