Plantio da soja deve ganhar força com chuvas em importante áreas produtoras, aponta Geosys

  • 01/10/2021
  • 0
  • Categoria(s): Mercado da Soja |

Plantio da Soja

Paraná e sul do Mato Grosso do Sul serão favorecidos nos próximos dias. Veja mais:

Diferente da safra de soja 2020, o Paraná e o sul do Mato Grosso do Sul terão bons volumes de chuva na primeira quinzena de outubro. Dados do sensoriamento remoto realizado pela Geosys Brasil apontam 95,7mm de chuva no Paraná, nos próximos 14 dias. O volume é acima da média de 72,9mm e muito superior aos 16,8mm registrados no mesmo período do ano passado. Com isso, a umidade do solo deve aumentar, dando condições favoráveis ao desenvolvimento da soja que está no início do ciclo.

O sul de Mato Grosso do Sul vai receber também bons volumes de chuva. Entre os municípios de Caarapó a Mundo Novo, o volume previsto é de 66,2 milímetros, contra média de 54,16mm e superior aos 4,3mm de 2020.  Mas, em outras áreas do Estado o volume de chuva será abaixo da média de 53,2 mm. A previsão aponta 32,6mm de chuva para os próximos 10 dias, volume abaixo da média, mas suficiente para o plantio da soja.

Para as outras regiões do país, a previsão indica chuvas de 0 a 20mm na maior parte do Centro-Oeste, com exceção do norte de Mato Grosso, e volumes de chuva mais elevados em diversas áreas do Sudeste, para os próximos 10 dias.

Mato Grosso

No Mato Grosso a previsão indica, para os próximos 10 dias, chuva acumulada de 11,4 a 16,5 mm, inferior à média de 32,22mm no período, mas em volume maior que 1,2 mm registrados em 2020.  Com a baixa precipitação, a semeadura da soja deverá seguir em ritmo lento.

Goiás

Com o término do vazio sanitário no dia 30 de setembro, os produtores já podem plantar a soja, mas as condições de umidade do solo não estão favoráveis. A chuva acumulada em setembro foi de 2,2mm, abaixo da média de 23,21mm e não há previsão de bons volumes de chuva para os próximos 10 dias.

Minas Gerais

Na zona da soja em Minas Gerais, considerando o Triângulo Mineiro e a região Noroeste, a chuva em setembro foi de 2,74mm, contra média de 30,4mm. Além da baixa precipitação, as altas temperaturas mantiveram a umidade do solo abaixo da média. No início de outubro são esperados 37,0mm de chuvas, situação que, caso ocorra, poderá aumentar a umidade do solo e melhorar as condições para o plantio da soja, mas o cenário ainda é incerto.

São Paulo

As áreas de soja receberam em setembro volumes muito baixos de chuvas, cerca de 10mm, para a média de 54,16mm, deixando as condições para o plantio da soja desfavoráveis. Em outubro, o volume de chuvas pode variar de 16mm a 57,9 mm, sendo a média de 39,3mm esperada no período. Se a chuva atingir essa média, o plantio de soja ficará favorecido.

Diferente da safra de soja 2020, o Paraná e o sul do Mato Grosso do Sul terão bons volumes de chuva na primeira quinzena de outubro. Dados do sensoriamento remoto realizado pela Geosys Brasil apontam 95,7mm de chuva no Paraná, nos próximos 14 dias. O volume é acima da média de 72,9mm e muito superior aos 16,8mm registrados no mesmo período do ano passado. Com isso, a umidade do solo deve aumentar, dando condições favoráveis ao desenvolvimento da soja que está no início do ciclo.

O sul de Mato Grosso do Sul vai receber também bons volumes de chuva. Entre os municípios de Caarapó a Mundo Novo, o volume previsto é de 66,2 milímetros, contra média de 54,16mm e superior aos 4,3mm de 2020.  Mas, em outras áreas do Estado o volume de chuva será abaixo da média de 53,2 mm. A previsão aponta 32,6mm de chuva para os próximos 10 dias, volume abaixo da média, mas suficiente para o plantio da soja.

Para as outras regiões do país, a previsão indica chuvas de 0 a 20mm na maior parte do Centro-Oeste, com exceção do norte de Mato Grosso, e volumes de chuva mais elevados em diversas áreas do Sudeste, para os próximos 10 dias.

Mato Grosso

No Mato Grosso a previsão indica, para os próximos 10 dias, chuva acumulada de 11,4 a 16,5 mm, inferior à média de 32,22mm no período, mas em volume maior que 1,2 mm registrados em 2020.  Com a baixa precipitação, a semeadura da soja deverá seguir em ritmo lento.

Goiás

Com o término do vazio sanitário no dia 30 de setembro, os produtores já podem plantar a soja, mas as condições de umidade do solo não estão favoráveis. A chuva acumulada em setembro foi de 2,2mm, abaixo da média de 23,21mm e não há previsão de bons volumes de chuva para os próximos 10 dias.

Minas Gerais

Na zona da soja em Minas Gerais, considerando o Triângulo Mineiro e a região Noroeste, a chuva em setembro foi de 2,74mm, contra média de 30,4mm. Além da baixa precipitação, as altas temperaturas mantiveram a umidade do solo abaixo da média. No início de outubro são esperados 37,0mm de chuvas, situação que, caso ocorra, poderá aumentar a umidade do solo e melhorar as condições para o plantio da soja, mas o cenário ainda é incerto.

São Paulo

As áreas de soja receberam em setembro volumes muito baixos de chuvas, cerca de 10mm, para a média de 54,16mm, deixando as condições para o plantio da soja desfavoráveis. Em outubro, o volume de chuvas pode variar de 16mm a 57,9 mm, sendo a média de 39,3mm esperada no período. Se a chuva atingir essa média, o plantio de soja ficará favorecido.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola. 
 
 

Fonte: Geosys / Notícias Agrícolas

 

Veja Mais
Soja Brasil: sexta-feira será de lentidão na comercialização da soja
Soja Mercado Externo: futuros continuam movimento de alta nesta quarta-feira (24) na Bolsa de Chicago
Soja Brasil: plantio de soja vai a 86% no Brasil e supera os 81% registrados na mesma época de 2020
Soja Mercado Externo: auxiliada pelos aumentos de milho e trigo, cotação da soja sobe em Chicago
Soja Balanço Semanal: plantio da safra 2021/22 chega a 81,9% no Brasil e comercialização se aquece novamente

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo