Economia Brasileira: Copom indica que Selic deve subir de novo em junho, avaliam analistas

  • 07/05/2021
  • 0
  • Categoria(s): Notí­cias Populares |

Economia Brasileira

Em comunicado comitê indicou que taxa de juros futura poderá ser ajustada para assegurar o cumprimento da meta de inflação. Confira:

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) elevou nesta quarta-feira (5) a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 2,75% para 3,5% ao ano. Segundo analistas, uma nova alta de 0,75 ponto percentual deve ocorrer na próxima reunião, em junho.

Este foi o segundo aumento seguido da Selic. Em março, o Copom elevou a taxa de 2% para 2,75% ao ano, aumento além do esperado à época pelo mercado financeiro.

"O BC já contratou mais 0,75 ponto de alta para a próxima reunião (de junho), o que indica que ele vai ter uma curva de alta da Selic mais intensa agora no curto prazo", afirma João Leal, economista da Rio Bravo Investimentos.

No comunicado, o Copom indicou um processo de normalização parcial da taxa de juros, mas pontuou que "não há compromisso com essa posição e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar o cumprimento da meta de inflação".

"Ele (BC) preferiu, de certa forma, se desamarrar um pouco dessa ideia (de normalização parcial)", diz Silvio Campos Neto, economista da consultoria Tendências.

O Banco Central tem sido pressionado por uma inflação alta persistente e por uma economia que cresce pouco, afetada pelos estragos da pandemia. Em março, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) chegou a 6,10% em 12 meses e estourou o teto da meta do governo para a inflação no ano, algo que não acontecia há quatro anos.

A preocupação é que a inflação em alta siga persistente no próximo ano - o Copom tem avaliado que essa pressão é passageira.

No comunicado desta quarta, o Comitê deixou claro que a política monetária tem como objetivo a inflação de 2022. Para o próximo ano, a meta de inflação é de 3,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

A evolução da taxa Selic

Na projeção utilizada pelo Comitê, o IPCA deve encerrar o próximo ano em 3,4%, portanto, abaixo do centro da meta. No relatório Focus, que colhe a avaliação de uma centena de analistas, a expectativa é de alta de 3,61%.

“No comunicado, chama atenção que o horizonte relevante é o ano de 2022. Ele deixa de falar em 2021 como vinha falando na última reunião”, diz Rodrigo Cruz, sócio e gestor de Renda Fixa e Câmbio da Meraki Capital.

Na avaliação de Reinaldo Nogueira, diretor-geral do Ibmec São Paulo e Brasília, o Copom indicou que vai utilizar os juros para encaminhar a inflação para o centro da meta, mas que novas altas — ainda que inferiores a 0,75 — serão necessárias para controlar o índice de preços.

"O que importa mais é essa trajetória. Esse direcionamento [de alta] tem um efeito sobre capitais e sobre os preços de importados, que impacta na inflação", explicou.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola

 

Fonte: G1

Veja Mais
Economia Brasileira: professor de Harvard diz que apesar da pandemia, economia do Brasil se mantém robusta
Fatores Climáticos: Frente fria avança nesta sexta-feira; veja quais estados terão chuva
Polêmico! Se liberado, trigo transgênico fará brasileiro de cobaia, diz especialista
Preocupação! Governo cria grupo técnico para monitorar situação na Bacia do Paraná
Fatores Climáticos: Previsão de chuva em parte do Centro-Oeste, Sudeste e Sul nesta terça

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo