Brasil vai crescer 3% em 2019, diz Credit Suisse

  • 13/12/2018
  • 3
  • Categoria(s): Notí­cias Populares |

sinaliza

“Cenário positivo para 2019 e 2020”.  O banco prevê crescimento de 3% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 e avanço de 2,5% do nível de produto em 2020, com base principalmente na demanda doméstica, particularmente no consumo das famílias e em investimentos

Ainda dentro do cenário positivo, a inflação projetada para o biênio é “baixa e estável”: 3,7% em 2018 e 2,5% em 2020. A alta capacidade ociosa permitirá que a inflação mantenha-se em ritmo lento para os próximos trimestres e a ancoragem das expectativas em relação a política fiscal deverá manter a dinâmica da taxa de câmbio menos volátil, de acordo com os analistas.

Adicionalmente, o Credit Suisse destaca a normalização gradual da política monetária, o que permitirá ao Banco Central normalizar a Selic em patamar mais adequado. Neste cenário, o banco projeta Selic de 8% em 2019 e de 9% no fim de 2020.

No diagnóstico inicial, os analistas ressaltam dois principais problemas da economia brasileira: a junção de baixo crescimento do PIB entre 1980 e 2018, com média de incremento anual de 2%, aliado a taxa ínfima de crescimento da produtividade do trabalho, de apenas 0,2% no mesmo período de referência.

O outro problema ressaltado é a deterioração fiscal, acelerada também desde 2014, quando os gastos do governo central ultrapassaram a arrecadação, em termos de relação de percentual do PIB no período. “A administração entrante necessitará implementar um forte ajuste fiscal para estabilizar a dívida bruta líquida como percentual do PIB no médio prazo”, destaca a equipe

Para solucionar ambos os problemas, pontuam as seguintes medidas: reforma tributária, maior abertura da economia ao comércio internacional, aprimoramento da competitividade do setor bancário, privatizações e reforma educacional. Outros pontos para ajuste da política fiscal são a reforma da previdência, o congelamento dos salários no setor público, a redução de subsídios fiscais e aumentos adicionais da carga tributária.

Inflação, PIB e Crédito

O Credit Suisse espera que a inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) atinja 4,2% em 2019 e em 2020, superior frente aos 3,8% projetados para 2018, com pressão de alimentos, indústria e serviços. Em relação ao PIB, o Credit Suisse acredita que o gap entre capacidade produtiva e produção se encerrará no terceiro trimestre de 2019, o que deverá aliviar pressões inflacionárias.

O banco ressalta a expectativa de melhora nas condições de crédito. Do lado da oferta, a queda na taxa de inadimplência nos últimos meses deverá estimular os bancos privados a proverem crédito. Do lado da demanda, tanto empresas quanto famílias passaram por forte processo de desalavancagem nos últimos anos, o que facilita a tomada de empréstimos por ambos.

Fonte: Moneytimes

 





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo