Frigoríficos brasileiros podem sofrer menos demanda de carne para China, devido coronavírus

  • 02/03/2020
  • 1
  • Categoria(s): Mercado de Carnes |

exportações de carne bovina para China

A epidemia de coronavírus afetou a circulação de pessoas e o comércio no epicentro da China, por isso as  iamportações de carne bovina devem recuar neste  primeiro semestre de 2020, é o que  disse o Rabobank, em relatório divulgado na última quinta-feira (27).

O coronavírus já fechou muitos restaurantes no país, o que por outro lado ampliou os estoques chineses de carne bovina congelada, armazenados em mercados locais em meio aos preparativos para o feriado do Ano Novo Lunar, e que não foram consumidos em janeiro por causa do surto.

Segundo o Rabobank, alguns desses estabelecimentos podem permanecer fechados até março, já que muitas pessoas continuam evitando refeições fora de casa.

De acordo com as estatísticas da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) , as exportações de carne bovina do Brasil atingiram uma receita recorde de US$ 7,5 bilhões em 2019, puxadas  pela forte procura chinesa, que representou 26,6% do volume exportado por frigoríficos locais.  Se contabilizadas as vendas para Hong Kong, o volume salta para 45%.

No final do ano passado devido às fortes exportações do produto, o Brasil registrou  recordes de preços ao final do ano passado,  devido às fortes exportações do produto, o que causou retração no mercado interno.

Enquanto isso, a chuvarada contribuiu com o crescimento das pastagens, o que  serviu para reduzir os custos de produção, mas limita a oferta de animais enviados para o abate, disse a instituição. "Com o consumo doméstico (do Brasil) ainda considerado fraco e a China reduzindo compras devido ao coronavírus, abatedouros não estão dispostos a pagar preços mais altos para atrair volumes maiores", destacou o Rabobank.

Apesar de permanecerem  27% acima dos níveis de janeiro de 2019, os preços do boi gordo no Brasil tiveram um recuo de  9,8% em janeiro de 2020, depois de atingirem R$ 211,97 por arroba (15 kg) em dezembro, foi o que  Rabobank conseguiu comprovar por meio de dados.  

Além do aumento do custo para compra do gado, os crescentes valores da ração animal também são um desafio para os frigoríficos brasileiros, finalizou a instituição.

*Com informações da Reuters

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

Veja Mais
Mercado de Carnes: Preços do boi gordo podem subir ainda mais a partir de novembro, diz consultoria
Mercado de Carnes: arroba do boi no indicador do Cepea supera R$ 260 pela primeira vez na história; confira a tendência
Mercado de Carnes: Brasil e Japão podem anunciar acordo bilateral no setor de carne bovina, diz Arnaldo Jardim
Mercado de Carnes: Arroba do gado magro limita a atuação de pecuaristas de recria e engorda
Estoque de carne suína na China pode estar no fim

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar