Fermentação natural: bactérias cultivadas resgatam origens da panificação

  • 30/01/2020
  • 4
  • Categoria(s): Notí­cias Populares |

fermentação natural

Sabe aquele aroma agradável de pão saindo do forno, que se espalha pelo ar e invade as casas e comércios da rua?  De repente, a gente descobre  que a origem dele é de uma  panificadora da esquina, que chova ou faça sol, libera fornadas  à clientela do mais  irresistível pão artesanal do bairro.  

O cheiro delicioso do pão quentinho pode até ser um velho conhecido dos olfatos, mas o fato é que de uns anos para cá,  até quem tem o sentido menos aguçado já percebeu que o setor da panificação revirou o ‘livrou de receitas do tempo da vovó’ para resgatar o jeito artesanal de amassar o pão, utilizando a técnica da   fermentação natural.

Essa redescoberta caiu no gosto popular há cerca de seis anos. No início, como todo começo, gerou certa resistência – tanto dos consumidores quanto dos padeiros – em inserir a fermentação natural no cotidiano das pessoas. Mas, há quem diga, que existam mil e uma maneiras de reinventar aquilo que já se inventou com um “Q” a mais, basta 'Querer'.  

 

Retorno às origens  

A fermentação natural é o que se pode chamar de um regresso às origens da panificação no mundo. O processo utiliza bactérias cultivadas de forma artesanal, de longa fermentação . Para  melhor noção de tempo,  um pão pode levar até 48 horas para sair do forno. Agora, o que parece muito tempo pode fazer a diferença no sabor e na textura.  O salto em qualidade surpreende também no número de profissionais, que decidiram empreender na área, nos últimos anos. De um contingente de  63,2 mil panificadores do Brasil, 60 mil são micro e pequenas empresas.

Fermento que cresce

A chapa está quente. Ou melhor,  literalmente,  tinindo para quem pretende incrementar o negócio da família ou empreender ao colocar a ‘mão na massa’ na fabricação artesanal de pães. É que, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria da Panificação e Confeitaria (Abip), o avanço médio  em todo o setor desde 2018, com faturamento de R$ 92 bilhões, é de 3%. Este aquecimento do setor é o 'fermento' para expansão de qualquer ideia de sucesso.  

Os números também revelam que  o pão nunca saiu de cena e não sairá jamais da lista de alimentos mais consumidos pelo brasileiro. De acordo com um relatório apurado pelo Sebrae, o consumo de pão artesanal representa 86% do total. Sem dúvida, uma tradição à mesa!

De berço europeu à pani da esquina

Fazer pão é uma arte para o deleite dos apreciadores.  A técnica da  fermentação natural tem tudo a ver com a possibilidade de empreender em algo que traga satisfação pessoal. Chegou ao Brasil, sob o carimbo da importação de outros continentes, como franceses, espanhóis e italianos. Essa tríade continental mostrou como é possível fazer um produto artesanal, com muito mais sabor, qualidade e valor agregado.  Esse foi o ponta pé inicial para o resgate da técnica ao setor da panificação brasileira.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.  

Veja Mais
Destaques da Economia Brasileira (25 a 29/05): Dólar registra alta após sete dias consecutivos de queda. Economia global mostra primeiros sinais de recuperação
Economia global mostra primeiros sinais de recuperação diante da pandemia
Destaques da Economia Brasileira (18 a 22/05): Dólar fecha a R$ 5,58 registrando a menor cotação em 20 dias
Economia Brasileira: Bolsonaro e governadores vetam aumento de salário a servidores públicos. Ibovespa vai a 83 mil pontos e dólar tem forte queda
Destaques da Economia Brasileira (10 a 14/05): No ano, dólar já subiu 45% e Banco Central já não sabe mais como atuar

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar