Vazio sanitário: calendário em alguns estados brasileiros já começou

  • 05/07/2019
  • 9
  • Categoria(s): Mercado de Soja |

De olho na safra 2019/2020, sojicultores de todo país devem ficar  atentos ao calendário do vazio sanitário – principal estratégia para o manejo do fungo causador da ferrugem-asiática –,  a fim de evitar grandes incidências desta que é a  pior doença para a soja.

O Rio Grande do Sul, estado que ainda não tem vazio sanitário, lidera em números com recorrência de casos safra após safra. Na passada, foram 390 ocorrências registradas.

O  Paraná já iniciou seu período de vazio sanitário da soja no dia 10 de junho e vai até setembro. Desde o dia 15 de junho, os estados de Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia também entraram no período de manejo.

No Brasil, treze estados mais o Distrito Federal adotam o período sem plantas vivas de soja.  Além disso, o Paraguai também aderiu à medida para evitar a proliferação da ferrugem asiática, considerada uma doença que dizima a lavoura.

Em nota, a Embrapa Soja, esclarece que, o vazio sanitário é o período de, no mínimo, 60 dias em que não se pode semear ou manter plantas vivas de soja no campo. A medida objetiva reduzir a sobrevivência do fungo causador da ferrugem-asiática durante a entressafra e assim, atrasar a ocorrência da doença na safra.

Fungo causador

O fungo que causa a ferrugem-asiática é biotrófico,  chamado de Phakopsora pachyrhizi. Ele  precisa de hospedeiro vivo para se desenvolver e multiplicar. Ao eliminar as plantas de soja na entressafra quebra-se o ciclo do fungo, reduzindo assim a quantidade de esporos presentes no ambiente.

“O importante do vazio sanitário é que ela ajuda a evitar a ferrugem, que é uma doença muito severa. Se ela chega muito cedo, pode aumentar muito o custo de produção, com mais aplicações de fungicidas. Temos um risco maior de perder em produtividade”, explica a pesquisadora da Embrapa Claudine Seixas.

Ferrugem da soja

De acordo com a Embrapa Soja, o controle da ferrugem-asiática  possui um custo médio bilionário de US$ 2,8 bi por safra. Além da eliminação de plantas de soja voluntárias durante o vazio sanitário, as estratégias de manejo da ferrugem-asiática incluem: a utilização de cultivares de ciclo precoce e semeaduras no início da época recomendada; a utilização de cultivares com genes de resistência; o monitoramento da lavoura desde o início do desenvolvimento da cultura e a utilização de fungicidas no aparecimento dos sintomas na região afetada.

Quem não obedecer o calendário

O produtor que não cumprir o calendário do vazio sanitário estará sujeito a penalidades como multas. Os estados também têm sanções aos que não seguirem.

Pesquisadores da Embrapa reforçam que mais importante que as multas, o primeiro a se beneficiar com o vazio sanitário é o agricultor, que terá essa doença cada vez mais tardiamente. “ O bom manejo da ferrugem começa na entressafra, fazendo o vazio sanitário”,  finaliza a pesquisadora.

Confira abaixo o calendário completo com os períodos do vazio sanitário no Brasil e no Paraguai. 

Tocantins: iniciou no dia 1º de julho e encerra em 30 de setembro;
Pará: no Estado, devido a diferenças climáticas, foram estabelecidas duas etapas de vazio sanitário. De 15 de julho a 15 de setembro nas microrregiões de Conceição do Araguaia, Redenção, Itaituba (com exceção dos municípios de Rurópolis e Trairão), Marabá e Altamira (distrito de Castelo dos Sonhos). De 1º de outubro a 30 de novembro nas microrregiões de Santarém, Paragominas, Bragantina, Guamá, Altamira (com exceção Distrito Castelo dos Sonhos);
Rondônia: iniciou em 15 de junho e vai até 15 de setembro.
Maranhão: o vazio sanitário é dividido em dois períodos. O primeiro ocorre de 15 de agosto a 15 de outubro e compreende as microrregiões do Alto Mearim, Grajaú, Balsas, Imperatriz e Porto Franco. Já o segundo período, que vai de 15 de setembro a 15 de novembro, abrange a Baixada Maranhense, Caxias, Chapadinha, Codó, Coelho Neto, Gurupi, Itapecuru Mirim, Pindaré, Presidente Dutra e Rosário, além de Paço do Lumiar, Raposa, São José de Ribamar e São Luis;
Bahia: de 15 de agosto a 15 de outubro;
Goiás: iniciou em 1º de julho e termina em 30 de setembro;
São Paulo: iniciou em 15 de junho e termina em 15 de setembro;
Paraná: de 15 de junho a 15 de setembro;
Mato Grosso: de 15 de junho a 15 de setembro;
Minas Gerais: de 1º de julho a 30 de setembro;
Mato Grosso do Sul: iniciou em 15 de junho e se estende até 15 de setembro;
Distrito Federal: de 1º de julho a 30 de setembro.

Paraguai: iniciou em 1º. de junho e se estende até 30 de agosto.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

Veja Mais
Soja Brasil: Plantio atinge 90% da área prevista no Rio Grande do Sul
Soja Internacional: Estados Unidos chegam a acordo comercial preliminar com China nesta quinta-feira
Soja Brasil: Conab estima produção da safra 2019/20 em 120,86 milhões de toneladas
Contratos futuros da soja seguem apresentando avanços no fechamento desta terça-feira
Soja – Balanço Semanal: Mercado externo fecha com valorização pela quarta vez consecutiva

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo